Home / Ultimas / Destaque / Prefeito de Itamaraju corre risco de ter os bens bloqueados pela justiça

Prefeito de Itamaraju corre risco de ter os bens bloqueados pela justiça


Helber Luiz Batista, da 2ª Promotoria de Itamaraju

A

Helber Luiz Batista, da 2ª Promotoria de Itamaraju, pediu na tarde de ontem, (26/03/2019), os bloqueios dos bens do prefeito de Itamaraju.

O prefeito que também é médico, Marcelo Angênica do (PSDB), foi atuado com multa diária e bloqueio de bens e contas bancárias bloqueadas.

O motivo foi descumprimento de decisão judicial que obriga o gestor a fornecer atendimento médico a uma criança portadora de paralisia infantil e microcefalia, o caso chocou a população de Itamaraju e deixou familiares e amigos indignados.

Marcelo Angênica foi obrigado a fornecer à criança fraldas, atendimento de ortopedista, fonoaudiólogo e passagens para que o menor faça atendimento em um hospital da capital. Apesar de ter se comprometido em 2018 em reunião com o Ministério Público, o Secretário de Saúde, Elan de Lozinho, e o prefeito municipal não tem atendido as necessidades da criança.

Na data 11 de março, a Juíza Lívia Figueiredo deu prazo de cinco dias para que Marcelo Angênica atendesse a decisão judicial. Como o gestor não seguiu as regras, o promotor Helber Luiz pediu que fosse aplicada a multa e o bloqueio dos bens do prefeito municipal.

“Sendo assim, requer o Ministério Público que seja aplicada multa pessoal ao gestor, por cada dia de atraso, como forma de compelí-lo a das satisfatividade à pretensão do autor, na forma de decisão proferida nos autos, sem prejuízo de demais medidas de coerção apta a tal finalidade, inclusive, o uso de sistema de bloqueio de saldos bancários e bens.” Diz a petição do promotor Helber Luiz Batista.

De acordo com informações, cada dia mais tem aumentado o número de pacientes que recorrem à justiça em busca de atendimento médico e medicamento. O prefeito, que ironicamente é médico, constantemente desrespeita as ordens judiciais. Em 2018 uma idosa em estado grave chegou a obter uma liminar na justiça que obrigava o prefeito a fornecer medicamentos para o seu tratamento. O gestor municipal não cumpriu a decisão judicial e a paciente faleceu antes mesmo de iniciar o tratamento.

O portal de notícia “Itamaraju Urgente” tentou contato com o gabinete do prefeito mais não conseguimos êxito.

itamarajuurgente@gmail.com

Por-Redação/ItamarajuUrgente

Deixe seu comentário